quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Informações sobre o Timor

Depois de morar 1 ano em Timor-Leste e agora em minha segunda estadia por aqui, resolvi compartilhar minhas experiências nesse paraíso cheio de problemas e belezas naturais bem no meio da Ásia. Espero que meus relatos ajudem a todos aqueles que pretendem vir ao Timor. Surgindo dúvidas, por favor, as postem para que eu possa ajudá-los mas especificamente.

Como chegar

O Timor está localizado no Sudeste Asiático, ao Norte da Austrália e faz fronteira com o Timor-oeste (Indonésia).


Saindo do Brasil, são várias as possibilidades para se chegar ao Timor. Pode-se embarcar em São Paulo em direção a Santiago no Chile pela Lan Chile (www.lan.com), de Santiago pela Lan Chile ou pela Qantas (www.qantas.com.au) embarca-se em um vôo com destino a Darwin (Austrália), com escala em Auckland (Nova Zelândia) e conexão em Sydney (Austrália). De Darwin, através da empresa Airnorth (www.airnorth.com.au) embarca-se para Dili (Timor-Leste). Entre conexões e escalas, são aproximadamente 3 dias para se chegar ao Timor-Leste. O vôo de Darwin para o Timor parte diariamente de terça a domingo às 6:30 da manhã e às segundas-feiras com um vôo extra a tarde. O tempo de vôo de Darwin até Dili é de aproximadamente 1 hora. O Trecho de ida São Paulo-Dili está custando aproximadamente US$ 1,750.00.


Outras alternativas saindo de São Paulo são as rotas África do Sul-Dubai-Bali-Dili ou Portugal-Londres-Singapura (ou Bali)-Dili, estas rotas dependendo da época do ano podem custar um pouco mais barato em comparação que a rota pela Austrália.


O Aeroporto Internacional de Dili, recebe e tem partidas atualmente para 3 vôos internacionais, o vôo diário de/para Darwin, o vôo diário da empresa Merpati (www.merpati.co.id) vindo/indo de/para Denpasar (Bali) – Indonésia e 3 vezes por semana um vôo vindo/indo de/para Singapura, da empresa Austasia.


Vindo pela Austrália é necessário um visto de Trânsito. São necessários os seguintes documentos*:

• Passaporte assinado e válido pelo período da estadia e passaportes anteriores, se já houver viajado ao exterior;

• Formulário 876 vigente, preenchido e assinado pelo requerente (a foto afixada no formulário deverá ser recente - 6 meses no máximo - e do tamanho 5x7 ou 3x4);

• Não há taxa para essa subclasse de visto;

• Itinerário da viagem;

• Confirmação da reserva da viagem a partir da Austrália para um terceiro país dentro do prazo de 72 horas depois da chegada;

• Comprovantes da documentação de entrada para aquele país (por exemplo: um visto);

• Uma carta explicando os motivos da viagem.


Para que o visto seja concedido, é necessário cumprir os requisitos de saúde e caráter determinados pelo Departamento de Imigração do Governo Australiano. Para informações sobre formulários, taxas e requisitos de saúde para um visto de transito, veja:

Formulários, Taxas e Requisitos de Saúde - http://www.brazil.embassy.gov.au/brasportuguese/visa_forms.html

Para informações sobre o envio e retorno do requerimento, o pagamento da taxa e outras informações importantes, veja:

Informações Adicionais Importantes - http://www.brazil.embassy.gov.au/brasportuguese/paper_visa.html

Para informações sobre o endereço e meios de contato com o DIAC em Brasília, veja:

DIAC em Brasília - http://www.brazil.embassy.gov.au/brasportuguese/contact.html

Sites adicionais de informação:

http://www.brazil.embassy.gov.au/ (em português)

http://www.immi.gov.au/ (em inglês)

www.immi.gov.au/visitors/transit/index

*Fonte: Site Embaixada Australiana em Brasília, para maiores informações: http//:www.immi.gov.au.

Atenção: Quando do desembarque na Austrália ou na escala em Auckland, não deve-se ter em poder qualquer objeto feito de madeira, alimentos, partes de animais, restos de solo em sapatos/tênis, medicamentos, objetos de palha, entre outros. Se tiver em sua bagagem algum dos objetos citados, você deve descartá-los nas lixeiras antes do setor de imigração ou então declará-los no cartão de desembarque. Não tente passar com eles sem declarar, eles são muito rigorosos quanto a isso, a multa pode chegar a mil dólares australianos (cerca de 1.100 dólares americanos), fora o risco de você ser detido. Declare e não tenha problema, o máximo que pode acontecer ao declarar, é seu objeto ser retido ou desinfetado contra insetos.


Visto para o Timor-Leste:

O Visto para o Timor-Leste é obrigatório para Brasileiros a turismo ou a trabalho e pode ser retirado quando da chegada ao aeroporto (Visa on Arrival). Ele custa 30 dólares americanos e tem a validade de 30 dias, podendo ser prorrogado por mais 60 dias. Quando a partida do Timor se dá pela forma aérea, deve-se pagar no momento do embarque uma taxa aeroportuária de 10 dólares americanos (obrigatório para todos). Atualmente existe um acordo entre o Governo Timorense e o Governo Brasileiro que dispensa de Vistos, portadores de passaportes brasileiros de Serviço (Oficial).

Dados do Timor-Leste

Superfície: 15.000 Km2

População: 790.000 habitantes (estimativa)

Moeda: Dólar americano

Língua: O Tétum (falado por 1/4 da população) e o Português (falado por 10% da população) são as línguas oficiais do Timor, o Bahasa Indonésio (falado por 90% da população) e o Inglês são amplamente utilizados.

Riscos de saúde: Incidência de malária, dengue e encefalite japonesa, então use repelentes (tem para vender no comércio local) e se for ficar um longo período no Timor, seria bom se prevenir tomando as 3 doses da vacina contra a encefalite japonesa, que não é encontrada no Brasil e pode ser tomada na Clínica Portuguesa em Dili, ao custo aproximado por pessoa de US$ 540 as três doses. O Timor, segundo a OMS é zona de risco para malária e encefalite japonesa. A encefalite japonesa é uma doença infecciosa aguda, causada por um flavivírus capaz de acometer o sistema nervoso central. A transmissão ocorre através da picada de mosquitos infectados (espécies do gênero Culex), que se proliferam em coleções de água e têm hábitos predominantemente noturnos. Menos de 1% dos indivíduos apresenta febre, dor de cabeça, prostração, dor no corpo, náuseas e vômitos. Com a evolução da doença, surgem as manifestações neurológicas, como dificuldade de equilíbrio, fraqueza muscular, alteração de comportamento, diminuição do nível de consciência (sonolência excessiva) convulsões e coma. Cerca de 30% dos indivíduos que adoecem evoluem para o óbito e 50% permanecem com seqüela neurológica. Os casos mais graves, geralmente, ocorrem em crianças e idosos. Não existe tratamento específico para a doença. As doses podem ser tomadas também na Austrália. Contra a malária o único meio de prevenção confiável é o uso de repelentes. Existem pessoas que recomendam a utilização de medicamentos enquanto estiver na área de risco. Segundo especialistas que consultei, tais medidas podem ser maléficas, pois se você vier a contrair a malária e já estiver utilizando continuamente o medicamento, o tratamento poderá não agir satisfatoriamente.

Eletricidade: 220V; 50Hz. O sistema de geração de eletricidade do Timor-Leste é a base de geradores que funcionam com óleo Diesel. Em Dili e no distrito de Baucau, o abastecimento de eletricidade é contínuo, com algumas quedas de eletricidade durante o dia, devido a problemas nos geradores ou manutenção dos mesmos. Em outros distritos, como em Ainaro, a eletricidade só é fornecida de 18 às 00:00 hora. Em alguns outros distritos e subdistritos pode não haver fornecimento elétrico.

Pesos e medidas: Sistema métrico

Fuso horário: GMT +9 (mesmo fuso horário de Tóquio no Japão, ou seja 12 horas a mais que o horário de Brasília).

Telecomunicações: Código internacional +670. Sistema móvel GSM. Em Timor só existe uma empresa de telecomunicações, a Timor Telecom. A cobertura do sinal é boa e se dá em Dili e nas 13 capitais dos distritos. É possível o envio/recebimento de SMS para o Brasil/Timor apenas para as empresas Tim e Vivo, ao custo de 25 centavos de dólar por mensagem enviando do Timor para o Brasil e a 1 real por mensagem enviando do Brasil para o Timor. O custo da ligação do Timor para o Brasil é de noventa centavos de dólar americano por minuto, enquanto que do Brasil para o Timor pode chegar a 8 reais o minuto. Uma outra alternativa mais barata para ligar do Timor para o Brasil é utilizando o serviço do Skype, através do plano Brasil 400, ao custo de 23 reais por 400 minutos de ligação para qualquer número fixo no Brasil.

Internet: Em Dili e em Baucau, existe a oferta de internet banda larga (conexão razoável) em Lan House, ao preço que varia de 1 a 4 dólares a hora. A Timor Telecom está oferecendo para Dili um plano de Internet Banda larga residencial (200KB/s) ao preço de 60 dólares/mês + 150 dólares de taxa de instalação.

Informações Importantes: Beba exclusivamente água engarrafada, você vai encontrar marcas de água indonésia (Aquase, Ana...) e de Multinacionais como Danone, etc, nas ruas de Dili e dos distritos. Uma garrafa de 1,5l custa US$ 0.50 e a de 500mL custa US$ 0,25 em média. Estas águas engarrafadas são confiáveis. Verifique sempre se o rótulo não está rompido. Evite o gelo e preste atenção à comida não cozida.

Ao consumir frutas e verduras, que podem ser adquiridas a preços baixos nas ruas de Dili e distritos, lave-as bem sempre e utilize se possível água sanitária para desinfetá-las. Água sanitária e vinagre são facilmente adquiridos em supermercados e pequenos comércios populares em Timor. O sistema de tratamento de água de Dili não cobre toda a cidade, então evite utilizar a água do sistema de abastecimento para cozinhar e beber.

O Timor tem um clima parecido com as regiões Norte/Nordeste do Brasil, então previna-se da desidratação, bebendo muita água, usando protetor solar fator 30 (traga do Brasil, os de Timor não são muito bons) e usando um chapéu. Em algumas cidades montanhosas o clima pode chegar a 12ºC, fazendo necessário o uso de roupas para frio, já em Dili, a temperatura pode chegar perto dos 40ºC.

O Timor utiliza a "mão inglesa" em seu trânsito, ou seja, se conduz na faixa da esquerda. A habilitação para dirigir emitida no Brasil (CNH) tem validade em território timorense, bastando se dirigir ao departamento de trânsito em Dili, para fazer a troca da CNH pela carteira de condução Timorense.

Moeda: Dólar americano (notas americanas e moedas timorenses). Em alguns lugares de Dili e nos distritos, só são aceitas as notas de dólar com o novo modelo. Notas antigas devem ser trocadas pelas novas, na Autoridade de Pagamento (Banco Central), vizinho ao Instituto Camões em Dili. Câmbio de Euro para Dólar pode ser feito nas Agências dos Bancos de Dili, mas notas de pequeno valor (1,10, 20...) não são aceitas em alguns bancos para câmbio. A Rupia Indonésia pode ser trocada para dólar americano além dos bancos nas ruas de Dili.

Moedas Timorenses


Estas notas são aceitas normalmente

Essas notas precisam ser trocadas


Operam no país o banco Australiano ANZ, o Português, Caixa Geral de Depósito-BNU e o Indonésio Mandiri. Existe ainda uma filial do Western Union, que permite o envio e recebimento de dinheiro do exterior em 40 minutos.

Cartão de crédito: Poucos estabelecimentos aceitam, então traga dinheiro em espécie.

Preços das refeições: Variam de 3 a mais de 20 dólares. Em Dili, você poderá encontrar uma variada cozinha internacional, com restaurantes australianos, chineses, portugueses, japoneses, indonésios, indianos, turcos e brasileiros (Café Brasil e Café Aroma).

Onde ficar: Dili oferece uma boa variedade de hotéis e pousadas, mas o preço das diárias nos últimos anos vem subindo bastante e variam de 25 a 500 dólares americanos.

Alguns hotéis e pousadas de Dili: Hotel Timor (Superior), Hotel Turismo, Hotel Dili, Venture Hotel, Hotel Rocela, Hotel Luis Clarita, Pousada do Jacinto, Orchard Apartments e backpacking, Hotel Vila Verde, entre outros. Poucos hotéis disponibilizam sites em internet, então para fazer reserva em algum deles, a única maneira é através de um contato telefônico.

Automóveis/Motos: É possível adquirir uma boa moto/automóvel em Dili a preços que chegam a 1/4 do preço do Brasil. O que explica isso é o baixo número de impostos e taxações sobre importações no Timor. Então com 800 dólares americanos você consegue comprar uma moto de 100cc. Se for exigente, com US$ 1800 você compra uma Honda 200cc. A maioria dos carros e motos que rodam no Timor, são fabricados na Indonésia, China e Japão. Com 5 mil dólares você consegue comprar uma mini-pajero semi-nova que no Brasil não compraria por menos de 30 mil reais. Uma outra opção é alugar um automóvel ou moto em Dili. Os preços do aluguel variam entre 15 e 40 dólares a diária, dependendo do modelo escolhido.

Transporte: Em Dili é possível andar de Taxi a preços baratíssimos, para todos os lugares. Dentro da cidade o preço da corrida de um taxi chega no máximo a 2 dólares, para lugares mais distantes como a Praia do Cristo Rei e o Aeroporto a corrida pode chegar a 4 dólares. Como os taxis não utilizam taxímetro e o preço é combinado entre motorista e passageiro, vale sempre pechinchar e nunca pague a mais do que combinou e se achar que está sendo explorado, desista do taxi e pegue o próximo, a concorrência de taxis em Dili é muito grande. Conheço uma pessoa que pagou 20 dólares em uma corrida do Aeroporto para o centro de Dili. Um absurdo, no máximo essa corrida deve custar 5 dólares. Então pechinche sempre e combine o preço antes de entrar. Além dos taxis, rodam em Dili, umas pequenas vans que eles chamam de "mikrolets", geralmente o preço nesse tipo de transporte é de 25 centavos de dólar, mas os estrangeiros normalmente não utilizam esse tipo de transporte, por andar quase sempre cheio e pelo espaço que é diminuto. Entre Dili e os distritos e também entre distritos existe a possibilidade de utilizar um outro meio de transporte chamado de "Bus" ou "Bus-kota", se pronuncia "Bis" ou "Bis-cota", são semelhantes as vans que encontramos no Brasil e os preços variam de 3 a 20 dólares, dependendo do destino. Nesses transportes além de passageiros é normal encontrarmos animais, sacos de arroz e motos. Ainda existe na ligação dos distritos a "Anguna" que no Brasil, conhecemos como Pau-de-arara. E para finalizar os meios de transporte do Timor, temos um ferry (Nakroma) que a faz a ligação entre Dili e a Ilha de Atauro (aos sábados), com um preço que varia entre 1 e 5 dólares, dependendo se você é timorense ou não, a viagem dura em média 3 horas e vale a pena ser feita. O mesmo ferry faz também as quintas-feiras a ligação entre Dili e o enclave de Oecussi. Essa viagem até Oecussi dura em média 12 horas.

Mikroleti das ruas de Dili

De todos os meios que citei, só não ainda utilizei as mikrolets, devido a minha altura e a viagem para Oecussi. Mas esse ano, quem sabe, o farei.

Embaixada do Brasil em Dili:

Temos uma Embaixada Brasileira em Dili, inclusive com o serviço de emissão de passaportes. Ela fica próximo a Embaixada da Indonésia. Para chegar lá basta pedir o taxi para ir na Embaixada da Indonésia, nossa Embaixada fica quase em frente. O telefone da embaixada brasileira é (+670) 3324 203 e o fax (+670)3324 620. O email da Embaixada é brasdili@timortelecom.tp ou esctimor@oftice.net.au

Serviços de Emergência no Timor:

Polícia: 7230686

Bombeiros: 7230686

Ambulância: 7233212


Custo de Vida

Segundo alguns estudos, Dili tem o segundo custo de vida mais caro da Ásia, perdendo apenas para Tóquio. Isso se explica, porque o Timor importa quase tudo que consome e suas principais fontes de renda é o petróleo, a exportação de café e o dinheiro que entra através de doações internacionais e salários de nós estrangeiros. Como a procura às vezes é maior que a oferta, preços de aluguéis e de alguns gêneros alimentícios estão subindo bastante de um ano para o outro. Um estrangeiro gasta com alimentação, moradia e vestuário por mês em Dili em torno de mil dólares, para viver razoavelmente.

Supermercados

No Timor é possível encontrar quase todos os produtos que encontramos no Brasil, com as mesmas marcas. Salvo produtos mais específicos e regionais, como o queijo de coalho, a massa para cuscuz, o Guaraná Antártica, a carne de charque, entre outros produtos, que infelizmente ainda não chegaram por aqui. O frango de quase toda a Ásia é importado do Brasil, então é comum encontrarmos marcas como Perdigão, Rezende e Sadia.

Variedade de Fanta encontrada em Dili.

O que fazer para se divertir?

Observação de Baleias e Golfinhos

Os golfinhos são presença habitual nos mares de Timor-Leste, em particular ao largo freqüentemente visíveis no alto-mar entre a ilha de Ataúru (Ataúro) e Dili (Díli).

Mergulho

Timor-Leste possui uma extensa barreira de quilômetros e quilômetros de coral virgem, oferecendo um dos melhores lugares do mundo para atividades subaquáticas. Existem várias empresas que disponibilizam serviços de mergulho para diferentes sítios em Dili, ilha de Ataúro, Manatuto, Tutuala e To-tina (ilhéu de Jaku). A barreira de corais de Timor-Leste serve de abrigo para uma vasta variedade de seres marinhos, desde tartarugas, baleias até às mais diversas espécies de coloridos peixes tropicais, incluindo o peixe palhaço (Nemo).

Praia do Cristo Rei e Areia Branca!

Dili é a capital de Timor-Leste. É essencialmente um centro comercial e administrativo. Uma enorme estátua do Cristo-Rei domina o pequeno pico em Fatucama. Uma das melhores praias de Dili é a Areia Branca. A ilha de Ataúro, que pode ser vista da praia, é um bom local para excursões turísticas. Existem em Dili algumas boites que funcionam geralmente nos fins de semana e outras como o "Motion" que funciona todas as quintas-feiras. Nessas casas noturnas é possível encontrar música ao vivo, som mecânico e DJ's. Em algumas casas noturnas a presença quase que 100% é de internacionais, mas isso vem mudando com o tempo e os timorenses já passam a freqüentar em peso algumas.

Vista da Ilha de Ataúro ao Longe!

Ecalando montanhas - Ramelau ou Tatamailau e Loelaco

Atinge-se o cume da montanha mais alta de Timor-Leste, a partir de Hatubuilico, por florestas e caminhos íngremes, em cerca de duas horas de caminhada. Seis horas de viagem levam-no à montanha de Loelaco, perto de Maliana, passando pelas vilas de Bobonaru (Bobonaro) e Marobo, com oportunidade para ver as tradicionais casas convexas da região.

Importante:

A aquisição e exportação de corais, aves, sândalo e tartarugas são proibidas por lei, embora a fiscalização não seja muito ativa. Lembre-se que Timor-Leste é um país jovem, com pouca experiência no setor do turismo e em receber turistas. Respeite as tradições timorenses.


Referências e créditos de fotos:

  • CD TURISMO EM TIMOR, PARAÍSO A LESTE, da Direcção Nacional do Turismo de Timor-Leste da República Democrática de Timor-Leste;
  • Arquivos pessoais;
  • Crédito de algumas fotos para D. Camolesi.

Nenhum comentário: